Tecnologia, vilã ou amiga da escola?

Posted By on Jun 12, 2014


Tenho conversado diariamente com diretores de escolas de música e é comum tal questionamento: vou perder alunos se não usar tecnologia nas aulas? Como posso me adequar, já que existem tantas ferramentas disponíveis? E se não usar, minha escola vai ficar “tradicional”?

De acordo com o estudo realizado nos Estados Unidos e divulgado pela Proceedings of the National Academy of Sciences (www.pnas.org), estudantes que assistem aulas tradicionais são mais propensos a conseguirem notas mais baixas do que em aulas mais dinâmicas. A pesquisa foi realizada observando 255 estudos sobre o desempenho de alunos nas mais diversas disciplinas.

Um outro dado interessante é o apresentado pela Deloitte e pelo Harrison Group, empresa independente de pesquisa dos EUA, no trabalho intitulado “O futuro da Mídia”. A pesquisa mostra que as pessoas utilizam média de 82 horas por semana a internet. Na Internet, as atividades mais populares são: a utilização de ferramentas de busca, leitura de notícias e consulta à previsão do tempo. Pesquisas sobre conteúdos de interesse pessoal, como músicas, produtos e assuntos relacionados à escola ou ao trabalho, também foram citados pelos entrevistados. Além disso, a pesquisa aponta que 50% dos entrevistados estão atentos aos lançamentos tecnológicos e tentam adquirir rapidamente esses equipamentos.

Tais pesquisas são importantes para refletirmos sobre algumas direções que podemos seguir no tocante ao uso da tecnologia, ou seja, utilizar tecnologia na educação, sejam softwares de aprendizagem ou a internet em aula podem trazer resultados positivos.

É importante avaliarmos os prós e contras. Uma aula “Lousa e Giz” pode ser entediante para muitos. Já uma aula Hi-Tech pode deixar de lado o objetivo, que é aprender a tocar o instrumento. Na música, acredito que o uso da tecnologia deve ser experimentado nas aulas e utilizado de acordo com o perfil de cada aluno. A aula pode ser mais bacana para alguns alunos com um supercomputador e com programas de edição de partituras e de instrução musical, mas outros podem desejar estudar de forma mais natural, chamado por alguns de tradicional, preferindo descobrir o som de seu instrumento de forma gradativa e não com a ajuda de diversas ferramentas que podem “maquiar o som”.

Sobre o uso da internet, é importante ter claro que o internauta tem 3 objetivos básicos: buscar informação, diversão e relacionamento.

  • Informação: O internauta sabe que a internet é uma grande fonte de informações. Para isto, utiliza os mecanismos de busca para alcançar seu objetivo. Com o tempo, vai formando sua lista de sites úteis que atendem a seus interesses específicos. Tais sites criam fãs e, com o tempo, associa o site a um nicho de informação específica. Por exemplo, Wikipedia = Enciclopedia. CifraClub = Cifras e Tablaturas. Que tal fazer com que seu site também tenha tal característica, com informações úteis para seu público-alvo?
  • Diversão: Jogos online, vídeos e animações são alguns itens que fazem parte desta categoria. Conhece o Virtual Drumming? É um exemplo de site neste categoria e que é muito acessado por aqueles que querem se divertir com a bateria virtual. Que tal criar uma para seus alunos e colocar em seu site?
  • Relacionamento: Uso de redes sociais, Chats, E-mail, entre outros. Sua escola está usufruindo dessas ferramentas para atrair e manter clientes?

Compreender bem estes 3 pilares é importante para definir estratégias e utilizar melhor a tecnologia em sua escola. Referente ao uso de tecnologia em sala de aula, existem muitas pesquisas sobre o assunto que apontam seus benefícios. Estar atento e experimentar as novas tecnologias de acordo com o perfil de cada aluno pode trazer resultados interessantes na aprendizagem de seus alunos.

Ed44_TecnologiaVila