Business Intelligence para Escolas de Música – Parte 2

Posted By on Sep 22, 2012


Business Intelligence (BI, ou se preferir, Inteligência Empresarial) é um processo de análise e monitoramento de informações para suporte a gestão de uma empresa. Estas informações são normalmente organizadas em sistemas de banco de dados ou planilhas, possibilitando a tomada de decisões, como novos investimentos e contratações, baseadas em dados concretos. A aplicação do BI pode garantir um número maior de interessados, otimização dos investimentos de marketing, prospecção de clientes e casos de sucesso.

Algumas empresas solicitam algumas informações no momento do cadastro do cliente. Não basta cadastrar os dados. Só tem importância para e empresa se for analisado e avaliado para o seu ambiente empresarial. Uma empresa competitiva acumula “inteligência” ao longo do tempo se a cada etapa tiver feito análise de desempenho para que possa aprender com os erros e acertos, corrigindo as ações e procedimentos sempre que necessário. A coleta de dados geralmente é realizada através de fontes primárias, como por exemplo, o cadastro de um interessado no site ou na secretaria da escola.

Business Intelligence é estratégia. Se alinhado a tecnologia, melhor ainda, pois otimiza o processo de análise. A automação de operações antes efetuadas manualmente é um ganho substancial, mas o mais importante é implantar a política de tomada de decisões à partir de informações e dados estatísticos. Nesta parte, o BI é indispensável.

Segue algumas sugestões para implantação do Business Intelligence:

  • Quando alguém liga em sua escola ou pede informações na secretaria, é um indicador de que possue algum interesse no seu serviço ou produto, correto? Solicitar informações como “Como conheceu a escola” pode indicar a você os meios de divulgação mais eficientes e assim, otimizar os investimentos em mídias de maior  retorno.
  • Crie relatórios sobre o desempenho de vendas do mês, alunos que entraram, por que saíram, horários com maior ociosidade (não “chute”. Faça uma análise e calcule o custo que tem por aquele espaço vazio e o lucro que teria se criasse uma promoção para conseguir alunos em tais horários). Faça comparações de desempenho mês a mês;
  • Não tome decisões apenas pelas impressões e intuição. Tais ações induzem ao erro.
  • As empresas não estão acostumadas a enxergar os números como base de decisões, por isso os empreendedores precisam deixar as vezes o “feeling” de lado (fundamental na música e importante nos negócios, mas perigoso se for o único indicador de decisões). Se nos basearmos apenas nas experiências anteriores temos a tendência de permanecer no mesmo lugar. O BI coloca o olhar do gestor com foco nos dados e informações consistentes para análise e tomada de decisão mais segura.