Tecnologia para a terceira idade

Posted By on Jul 14, 2012


Quando pensamos em tecnologia geralmente relacionamos com os mais jovens. Crianças que surpreendem os familiares manuseando sem problemas um Tablet sem ninguém ter explicado nada a ela, utilizando diversos aplicativos como se já tivessem vindo com o manual embutido em seu DNA. Porém, as novas tecnologias não são utilizadas apenas por esta faixa etária. A peça publicitária da Microsoft sobre o Windows 7 é um bom exemplo. Um casal de avós interagem em seus notebooks utilizando o Messenger, escutando música e brincando com efeitos em imagens, quando chega o neto e manuseia o equipamento para a avó colocando em um site de receitas, achando que ela não sabe operar o equipamento. Na realidade, desde 2008 a Microsoft trabalha em projetos de usabilidade e aplicativos com foco na terceira idade. E não é à toa que a equipe de Bill Gates está de olho nesta geração. Sabemos que a expectativa de vida tem aumentado de forma significativa. Isso ocasiona em explorar um mercado que pode ser muito lucrativo, além de incluir e facilitar a vida das pessoas.

“O novo mercado é o da terceira idade”, disse Joseph Coughlin, diretor do AgeLab do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT). “A geração baby-boom (nascidos nos anos 60) oferece um mercado de perpétua juventude”. Ainda, segundo Segundo Coughlin, 47, eles “estão à procura de tecnologia que permita que se mantenham envolvidos, independentes, bem e ativos”.

Como exemplo, vejo isto na minha família. Decidi presentear meu pai com um computador quando fez 58 anos, hoje com 62. Ele nunca havia manuseado um computador. Foi espantosa a empolgação. Fez matrícula em curso de informática, começou a ler sobre o assunto, como instalar programas…Enfim, hoje ele assiste aos vídeos que em sua época eram raros, lê notícias diariamente, acompanha agendas culturais, faz compras pela internet e cursos online, entre muitas outras atividades. Ou seja, descobriu um mundo novo com possibilidades infinitas. Bom pra ele, pois o entretenimento é agradável e seu cérebro está sendo exercitado o tempo todo com diversos estímulos de áudio, imagem e vídeo, e ainda, bom para o mercado, pois conquistou mais um cliente ativo no uso de tecnologias diversas.

Para as escolas, utilizar as novas tecnologias em aula atraem não apenas os mais jovens, mas se bem aplicadas, podem servir de apoio na aprendizagem para os mais idosos. Pense nisso. É muito importante ter em sua escola estratégias para atender a este público, assim como o exemplo acima da Microsoft e muitas outras empresas. A avó ou tio que leva o sobrinho ou neto para estudar em sua escola é um potencial aluno.

Para quem quiser se atualizar ou recomendar, a Fundação Sérgio Contente oferece curso de Informática para a Maturidade, cujo objetivo é atender as necessidades de integração social, utilizando recursos da informática para este fim. Mais informações no site www.fundacaosergiocontente.com.br.